Quanto Vale o Meio Ambiente?

26 jan

De acordo com a teoria econômica de Adam Smith o mercado é dotado do que convencionou-se chamar de mão invisível que regula e ajusta o mercado de forma automática sem que haja interferências externas com relação ao mesmo. De certa forma é assim que as coisas ganham um valor econômico ligado à desejos que não provem da vontade coletiva.

Para que haja uma qualificação do meio ambiente quanto ao aspecto econômico , é necessário além de quantificá-lo, analisar-se o aspecto qualitativo do mesmo. Essa análise nasce de forma universal de acordo com o valor qualitativo e o apreço populacional pelo meio ambiente, apreço esse advindo de políticas eficazes e da própria percepção do individuo quanto à degradação ou preservação do meio em que está inserido.

Políticas eficazes podem ser consideradas aquela que buscam instaurar no indivíduo em primeira instância e não em âmbito coletivo uma das definições que são atribuídas à palavra valor que é a apreciação feita pelo indivíduo da importância de um bem, com base na utilidade e limitação relativa da riqueza, e levando em conta a possibilidade de sua troca por quantidade maior ou menor de outros bens[1].

A revolução da informação trouxe conforto e comodidades por um preço que só agora as pessoas começam a se dar conta. A percepção supracitada das condições que nos cercam tem crescido em grau e profundidade gerando amplas discussões relacionadas ao preço que se paga por todo o desenvolvimento que se passa perante nossos olhos.

O conceito de escassez não foi apregoado pela escola de Adam Smith, mas alcançou seu apogeu com a escola malthusiana[2]. É certo que os homens associam valor ao que é produzido, mas muitas vezes fica relegado o fato de que a riqueza gerada vem do meio e não somente da atividade humana.

A escassez que agora encontra-se cada vez mais latente e de certa forma inerente tem a capacidade de gerar a verdadeira noção do valor do meio ambiente através da construção de políticas e medidas que gerem uma educação calcada pela percepção e apreço individual, ou em outras palavras, que não regulem a experimentação da criação individual de percepção, no sentido de privar as pessoas, mas de supri-las e assegurar que essas experimentações e constatações tornem-se práticas comuns sem que haja a necessidade de experiências negativas neste processo.

MEIO AMBIENTE OU DESENVOLVIMENTO

O inglês John Elkington, fundador da consultoria SustainAbility, criou um conceito que veio a ficar conhecido como triple bottom line. A idéia baseia-se na premissa de que nenhuma empresa é capaz de se perpetuar sem levar em consideração três aspectos: ambiental social e econômico-financeiro. E tudo isso pode se resumir em um padrão de conduta a ser seguido de forma universal, inclusive os formuladores de políticas ambientais e a grande industria: desenvolvimento sustentável.

Não existe paradoxo, ou conflito entre desenvolvimento X meio ambiente. O que existe é a necessidade da quebra de diversos paradigmas.

Na linha de desenvolvimento sustentável devem ser apreciadas políticas que prezem e difundam a criação de conhecimento tecnológico voltado de forma mais concisa para a exploração do meio ambiente buscando harmonizar crescimento com respeito á natureza.

Neste âmbito a pesquisa cientifica tem papel fundamental.


[1] MICHAELIS,  Moderno Dicionário da Língua Portuguesa. Valor. Disponível em

< http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=valor&gt;. Acessado em 19/11/2008.

[2] A Teoria Populacional Malthusiana foi um sistema ideológico desenvolvido por Thomas Malthus, economista, estatístico, demógrafo e estudioso das Ciências Sócias. WIKIPEDIA. Disponível em                           < http://pt.wikipedia.org/wiki/Teoria_Populacional_Malthusiana&gt;.

EXAME, Guia Exame de Sustentabilidade (2007). Página 12.

Mata, Henrique Tomé da Costa. Damaceno, Jacqueline de Jesus. Souza, Paulo Marcelo de. Ponciano, Niraldo José Breves Reflexões Sobre o Valor e o Meio Ambiente nos Sentimentos Morais e na Riqueza das Nações. Disponível em <http://www.ecoeco.org.br/conteudo/publicacoes/encontros/vii_en/mesa1/trabalhos/breves_reflexoes_sobre_o_valor.pdf&gt;.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: